Petrobras fechará compra de refinaria nos EUA este mês

O diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, afirmou que ainda este mês deve ser fechada a compra de 100% da Refinaria Pasadena Refining System Inc (PRSI), no Texas. Em setembro do ano passado, a estatal brasileira adquiriu participação de 50% da refinaria, por US$ 350 milhões, e passou a administrá-la em conjunto com a belga Astra Oil Trading NV. Costa, que afirmou faltar apenas "alguns detalhes" para o fechamento do negócio não revela o valor da compra atual. Mas estimativas de mercado apontam para uma cifra em torno de US$ 370 milhões. O diretor da área Internacional da Petrobrás, Nestor Cerveró, confirmou as negociações, mas não o fechamento do acordo para ainda este mês. Segundo ele, os Estados Unidos serão o principal alvo dos investimentos internacionais da estatal nos próximos quatro anos, com a destinação de cerca de US$ 4,5 bilhões. "Os Estados Unidos são o nosso principal foco internacional atualmente", disse Cerveró. Paulo Roberto Costa informou que, assim que a compra da unidade de Pasadena for efetivada, serão iniciados investimentos para aumentar a capacidade de refino dos atuais 150 mil para 250 mil de barris por dia, com prioridade para o processamento do óleo produzido pela Petrobras. "Queremos refinar principalmente o óleo que produzimos, para agregar valor com as vendas de derivados", disse o diretor. Óleo combustívelA Petrobras lançou hoje o óleo combustível aditivado Add Cleaner, destinado ao segmento industrial, para geração de energia em fornos e caldeiras. O novo produto passou por processo que garante maior homogeneidade na mistura do aditivo e eficiência no seu uso, elevando a vida útil do sistema de combustão.O novo óleo destaca-se ainda por ser um combustível mais limpo, com redução das emissões de fuligem e material particulado, com menor formação de depósitos e incrustações nos queimadores dos equipamentos e de borras e depósitos nas linhas e tanques, o que permite reduzir o tempo de paradas para manutenção e de limpeza de equipamentos e ampliar o período entre as manutenções.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.