finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Petrobras inaugura P-54 com atraso e 38% mais cara

O investimento total na unidade foi de US$ 900 milhões, ante os US$ 650 milhões contratados em 2004 junto ao estaleiro Mauá Jurong

Kelly Lima, da Agência Estado,

21 de agosto de 2007 | 16h40

A Petrobras inaugura nesta terça-feira, 21, a plataforma P-54, em Niterói (RJ), com atraso de oito meses na entrega e custo 38% maior que o previsto inicialmente. Destinada ao campo de Roncador, na Bacia de Campos, a unidade começa a operar em outubro e deve atingir o pico de produção de 180 mil barris por dia depois de seis meses. O investimento total na unidade foi de US$ 900 milhões, ante os US$ 650 milhões contratados em 2004 junto ao estaleiro Mauá Jurong.   Veja também:    A exploração de petróleo no Brasil  Em entrevista coletiva à imprensa, o diretor da estatal, Guilherme Estrella, considerou tanto o atraso quanto a elevação de custos "natural" ao setor de petróleo. "O mundo do petróleo mudou muito nesses últimos três anos. O preço barril subindo aqueceu a indústria internacional, elevou prazos e custos. Não daria para contratar uma unidade desse porte hoje por menos de US$ 1 bilhão", considerou Estrella.Segundo ele, o prazo de 41 meses necessários para a construção da unidade está abaixo da média internacional, que prevê entre 46 a 52 meses para uma obra desse porte.Ainda de acordo com o diretor, se iniciar a produção em outubro, conforme o previsto, a P-54 baterá recorde de construção na Petrobras. Antes dela, a plataforma construída em menor tempo havia sido a P-50, em 46 meses. "Nossos prazos já são absolutamente estressados e temos como meta reduzir isso ao máximo possível".Ainda de acordo com Estrella, a plataforma teve um índice de nacionalização de 62%, portanto, dentro da meta da empresa, de manter o conteúdo nacional entre 60% a 65%, apesar do casco da unidade ter sido convertido em Cingapura, na sede do estaleiro Jurong.Na entrevista coletiva, Estrella também ressaltou que a entrega da plataforma é mais um passo na consolidação da recuperação da indústria naval nacional. Segundo ele, foram gerados cerca de 13 mil empregos diretos e indiretos com a construção da unidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.