Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Petrobras investirá US$ 14,5 bi em SP entre 2008 e 2012

A Petrobras investirá US$ 14,5 bilhões no Estado de São Paulo no período de 2008 a 2012, informou o presidente da estatal, José Sérgio Gabrielli. De acordo com o executivo, os projetos na área de exploração e produção (E&P) ganharão destaque nesse novo ciclo de investimentos. "Cresceremos bastante em E&P em São Paulo. Anteriormente, o Estado estava muito ligado ao setor de refino", comentou o executivo durante a apresentação do plano estratégico 2008-2012, na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).No período, a companhia investirá US$ 4,5 bilhões em E&P, o que representa 31% do volume total previsto para o Estado. De acordo com o executivo, a expansão dessa atividade em São Paulo será puxada pelos projetos da Bacia de Santos, como os campos de Merluza, Mexilhão, Uruguá-Tambaú."Além disso, existe a possibilidade do desenvolvimento de novas descobertas", contou o executivo. Gabrielli, no entanto, negou que a companhia já possui dados mais concretos sobre o campo de Tupi, na zona de pré-sal da Bacia de Santos. "Não temos informações suficientes para projeções", alegou o presidente da estatal.RecursosO maior volume de recursos para o Estado será destinado para as áreas de refino, transporte e comercialização (RTC), que demandarão no total US$ 8,2 bilhões. Entre os projetos previstos estão a melhoria da qualidade do diesel e gasolina, de modo a atender a legislação brasileira e internacional, e o aumento do processamento de petróleo nacional nas refinarias paulistas. "Também investiremos no plano diretor de dutos, que consumirá US$ 832 milhões para retirar os tubos das áreas urbanas do Estado", disse.A área de Gás e Energia receberá US$ 600 milhões, essencialmente para a construção de gasodutos. Outros US$ 700 milhões serão aplicados em biocombustíveis, voltado para implantação de alcooldutos. Já o setor petroquímico receberá US$ 32 milhões, para o projeto da Petroquímica Paulínia. No segmento de distribuição, serão aplicados US$ 400 milhões e área corporativa receberá US$ 4 milhões.Os projetos previstos para São Paulo resultarão na geração de 160 mil empregos diretos, indiretos e por efeito renda. Além disso, a parcela de encomenda de conteúdo nacional dos empreendimentos para o Estado deverá ser de 74%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.