Petrobras já assinou 4 contratos para compra de GNL

A diretora de Gás e Energia da Petrobras, Maria das Graças Foster, afirmou que a estatal já assinou quatro contratos de compra firme de gás natural liquefeito (GNL) para abastecer os terminais de regaseificação de GNL que serão instalados no Brasil. "Um desses contratos é com a Shell. Os outros três ainda não podemos revelar", disse a executiva, após participar do seminário Gas Summit Latin America, realizado em São Paulo.Maria das Graças contou que o navio regaseificador do GNL, o Golar Spirit, já está em construção em Cingapura e deverá vir em direção ao Brasil a partir do dia 31 de maio. Ele será atracado no terminal de Pecém (CE). "Há uma janela de oportunidade para que o navio venha para o País entre 31 de maio e 15 de junho", disse.Segundo a executiva, a primeira carga de GNL chegará em julho deste ano ao País para abastecer o terminal de Pecém. O fornecedor do insumo, porém, não está definido. "Isso dependerá da localização da carga e do preço no momento dentre os quatro contratos", afirmou.TerminaisMaria das Graças disse que a implantação do terceiro terminal de GNL dependerá do resultado do leilão de energia nova que contratará a demanda do mercado em 2013 (denominado A-5). "Já assinamos alguns compromissos com geradores para esse leilão. Dependendo do resultado, precisaremos correr atrás de mais gás natural para atender os contratos", disse a executiva após participar de seminário de gás natural em São Paulo.O terceiro terminal integra o planejamento estratégico da companhia até 2012, no qual a estatal prevê importar para o Brasil 34 milhões de metros cúbicos por dia (m³/d) de GNL. Desse volume, 20 milhões de m³/d são relativos ao terminal do Rio de Janeiro, 7 milhões de m³/d da unidade de Pecém (CE) e outros 7 milhões de m³/d do terceiro terminal, que deverá ser construído na Região Sul do País. "A instalação deve ficar entre Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Essa posição estratégica nos permitiria atender a outros mercados fora do Brasil", disse a executiva. A Petrobras já manifestou a intenção de fornecer GNL para o mercado uruguaio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.