Petrobras: leilão trará bons resultados

Na próxima semana, o governo federal leiloará ao público as ações da Petrobras que excedem o necessário para manter o controle da empresa. Analistas esperam que essa operação movimente aproximadamente R$ 7 bilhões, sendo R$ 1 bilhão através do uso de recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviços (FGTS).Veja todos os detalhes da operação no link abaixo.O diretor de renda variável do BNP Asset Management, Nicolas Balafas, afirma que o aspecto mais importante é a possibilidade de o trabalhador escolher o tipo de aplicação que vai remunerar a sua conta de FGTS. "Como o perfil do FGTS é de longo prazo, o rendimento de Taxa Referencial (TR) mais 3% é muito pequeno, sendo vantajoso manter a correção atrelada ao mercado acionário, especialmente no caso de empresas como a Petrobras", afirma. Na sua opinião, será um teste importante, que, tendo sucesso, poderá ser estendido para outros lotes de ações em poder do governo, como a Companhia Vale do Rio Doce, Furnas, ou Eletrobrás.Júlio Ziegelmann, diretor de renda variável da BankBoston Asset Management, alerta para o risco de se manter muitos recursos aplicados em ações de uma única empresa. "Se o investidor não tem outras ações, deve aplicar menos do que o limite permitido, de 50%", ressalta, apesar de considerar a Petrobras uma empresa com as finanças ajustadas e boas perspectivas. Ele calcula que o preço justo do papel para os próximos doze meses, na atual conjuntura, é de R$ 60,00, o que proporcionaria um rendimento de 56%, considerando-se o fechamento de ontem em R$48,00 e o desconto de 20% para quem mantiver a aplicação por um ano.O maior risco, segundo ele, é que um cenário econômico muito negativo nos próximos seis ou doze meses apavore o investidor inexperiente, fazendo com que ele venda as ações com rendimento muito baixo, ou mesmo negativo. Balafas concorda, mas considera que isso é improvável, e que, se o mercado estiver em alta, as saídas dos investidores nos prazos de seis e doze meses não afetarão significativamente os preços das ações. É importante que o investidor esteja atento às oscilações da Bolsa, para não vender na baixa. As cotações das ações tendem a variar muito no curto prazo. Por isso é importante ter calma e pensar num horizonte de, no mínimo, dois a três anos. Segundo os especialistas, com isso, é difícil que o aplicador tenha ganho menor que o oferecido pela remuneração do FGTS - TR mais 3%.Petrobras ganha em volume de negócios, mas o leilão não afetará fortemente a BolsaO analista do Banco Santander, Rodrigo Marques, afirma que o leilão aumentará os negócios com papéis da Petrobras, beneficiando a empresa. Os analistas concordam que as ações da Petrobras passarão a ter maior participação no cálculo do Ibovespa - Índice que mede a valorização das ações de empresas mais negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) -, mas que esse aumento será limitado. Nicolas Balafas calcula que as ações ordinárias - ON, com direito a voto - da empresa, as que estão sendo leiloadas, terão um aumento de 1 a 2 pontos porcentuais no cálculo do Ibovespa. Porém, a operação exigiu um esforço de aumento de transparência da Petrobras, que agora ganhou mais credibilidade junto aos investidores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.