bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Petrobras lidera ranking de faturamento, diz revista

De uma amostragem de 500 empresas de 22 setores distintos da economia brasileira, a estatal Petrobras é detentora da maior receita operacional bruta em 2001, com vendas de US$ 30,882 bilhões, segundo levantamento da revista Exame para a 29ª edição do Anuário de Economia Melhores e Maiores 2002. A segunda do ranking é a Petrobras Distribuidora, com vendas de US$ 9,004 bilhões no último exercício fiscal.O faturamento de US$ 5,711 bilhões garantiu à Volkswagen a terceira colocação em vendas. Foi seguida pela Telefônica-SP, cuja receita foi de US$ 5,505 bilhões.LucroA Petrobras consolidou-se também como a empresa que registrou o maior lucro líquido do período (US$ 4,57 bilhões). A Companhia Vale do Rio Doce e a Telefônica-SP vieram logo em seguida, com US$ 698,7 milhões e US$ 625 milhões, respectivamente.A quarta e a quinta colocações no ranking das maiores brasileiras em 2001 foram ocupadas, respectivamente, pela Embraer (US$ 451,1 milhões de lucro) e Furnas (US$ 388,1 milhões).A operadora BCP, em contrapartida, amargou o título o maior prejuízo de 2001, com perda líquida de US$ 481,6 milhões. Light, NEC e Global Telecom vieram logo em seguida, com prejuízos de US$ 441,2 milhões, US$ 399,3 milhões e US$ 301,2 milhões, nesta ordem. Na quinta colocação em prejuízo ficou a Varig, com perda de US$ 251,9 milhões.SetoresO setor automotivo ocupou a liderança em faturamento, ao contabilizar US$ 30,57 bilhões em vendas. O setor de atacado e comércio exterior veio em seguida, com uma receita de US$ 30,29 bilhões. Com faturamentos de US$ 28,27 bilhões e US$ 27,32 bilhões, ficaram, respectivamente, o terceiro e quatro colocados, representados pelo comércio varejista e o setor de telecomunicações.Ao todo, foram analisados 22 setores. Em alimentos, o melhor desempenho foi verificado pela multinacional suíça Nestlé, enquanto no de bebidas, destacou-se a brasileira CBB-AmBev.Em construção civil, o anuário apontou como melhor empresa do setor a Geral-Damulakis, enquanto a maior do segmento é a Norberto Odebrecht.A Medley firmou-se como a melhor do setor farmacêutico, enquanto a Aventis Pharma se consolidou como a maior do setor. Em química e petroquímica, a Petrobras acumula os postos tanto de melhor como de maior do segmento.Em mineração, o destaque ficou com a MRN, e o título de maior do setor continuou com a Companhia Vale do Rio Doce. A Latasa Nordeste ficou como a melhor entre as empresas de siderurgia e metalurgia, setor que tem a CSN como a maior.A TAM Linhas Aéreas conquistou o título de melhor empresa de serviços de transportes. A principal concorrente, a Varig, não ficou de fora do ranking, ficando com o título de maior do segmento.No setor de telecomunicações, Tele Goiás e Telefônica-SP asseguraram, respectivamente, o título de melhor e maior do setor. A HP Brasil firmou-se como melhor entre as empresas de tecnologia e computação, onde a IBM destaca-se como a maior.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.