Petrobras menos ´política´ seria mais competitiva, diz jornal

Enquanto o governo brasileiro celebra o fato de ter se tornado auto-suficente em termos de petróleo, o jornal americano The Wall Street Journal questiona se, durante o governo do presidente Lula, a empresa não se politizou demais. Com o título de Auto-suficente ou maleável?, o jornal diz que a empresa deve muito de sua competitividade ao presidente Fernando Henrique Cardoso. Em sua gestão, a Petrobras cresceu uma média de 12% ao ano. No governo Lula, este crescimento foi de 5%. Segundo o jornal, isso se deve a medidas tomadas por razões políticas e não técnicas, como a demora de repassar aumentos do petróleo e derivados ao consumidor. Um analista ouvido pelo jornal calcula que a empresa deixou de ganhar R$7.8 bilhões desde janeiro de 2003 por cobrar abaixo do mercado em uma época de alta mundial de preços. O gás, por exemplo, estaria sendo vendido 30% abaixo do preço internacional de mercado. Para o The Wall Street Journal, nomeações para altos cargos também levariam mais em conta a lealdade com o Partido dos Trabalhadores do que critérios puramente técnicos.

Agencia Estado,

21 Abril 2006 | 10h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.