Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Petrobras mostra interesse em comprar a uruguaia Ancap

O presidente da Petrobras, Francisco Gros, confirma o interesse da Petrobras por uma possível associação com a Administração Nacional de Combustível, Álcool e Portland (Ancap) (www.ancap.com.uy), empresa petrolífera uruguaia. Mas ele destaca que a estatal ainda está analisando as condições deste negócio e não tem definição, até o momento, a respeito.Segundo Gros, a Ancap iniciou processo para a atração de um sócio, coordenado pela Merril Lynch. "Mas esta questão ainda não está integralmente resolvida", destaca. Gros diz que o processo de atração de um sócio está sendo bastante politizado, já que "um a ala do Uruguai não gosta muito dessa idéia".Além disso, a Petrobras ainda não tem uma definição sobre a atratividade do investimento. A estatal brasileira está analisando os números da Ancap, disponíveis em uma sala de informações da companhia. "Somos uma das oito empresas convidadas pela Ancap para estudar o negócio", diz Gros.Embora não tenha atividades de produção e exploração no Uruguai, a Ancap possui operações na Argentina com parceiros locais. No primeiro semestre deste ano, a empresa obteve um resultado líquido de US$ 32,6 milhões, segundo informações da companhia uruguaia. As atividades de produção e refino de petróleo e comercialização de derivados correspondem a 90% dos negócios da empresa, que também produz 510 mil toneladas anuais de cimento e álcool ? para uso industrial, farmacêutico e para bebidas ."Estamos analisando qualquer oportunidade na América do Sul", ressalta Gros. A Petrobras já tem posições em downstream (refino e distribuição) na Bolívia e na Argentina e em upstream (exploração e produção) na Argentina, Bolívia e Colômbia. Segundo Gros, com a aquisição da argentina Perez Companc, a estatal brasileira estabeleceu posições na Venezuela, Peru e Equador.

Agencia Estado,

06 de novembro de 2002 | 15h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.