Petrobrás muda ranking das construtoras

Se fosse preciso eleger a maior responsável pela nova configuração do ranking das empreiteiras brasileiras, ela seria a Petrobrás. Com investimentos da ordem de centenas de bilhões de dólares, a estatal alavancou o crescimento das médias construtoras e agora é ela que vai decidir quem fica e quem sai desse grupo.

, O Estado de S.Paulo

27 de junho de 2011 | 00h00

"Nos próximos anos, em função das exigências de sofisticação do setor de óleo e gás, vamos ter surpresas", diz um consultor da área que, por ter muitas dessas empresas entre seus clientes, pediu para não ser identificado. "Teremos empresas crescendo, assumindo posições e desbancando algumas grandes."

Isso explica o interesse de todas essas construtoras em assinar contratos com a Petrobrás.

Na Mendes Junior, metade da carteira já está vinculada a projetos ligados ao setor de petróleo e gás e a intenção da construtora é aumentar essa participação. A estratégia é firmar parceria com empresas estrangeiras que têm experiência na área.

A Galvão é outra que deve parte de seu faturamento aos contratos com a estatal. "Criamos uma subsidiária de óleo e gás só para cuidar desta área", diz o presidente da empresa, Dario Galvão Filho. Hoje, a companhia participa de uma licitação para operar e produzir sondas para Petrobrás. Se sair vitoriosa do processo, a Galvão tem planos de construir um estaleiro no País.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.