Petrobras nega atrasos no campo de gás de Mexilhão

A Petrobras enviou nota à imprensa negando a informação divulgada ontem de que haveria um possível atraso no cronograma de instalação dos dutos marítimos para a operação do campo de gás natural de Mexilhão, na Bacia de Santos. Segundo a Petrobras, as informações a respeito do andamento do Projeto Mexilhão não são procedentes. "As obras estão dentro do cronograma previsto e as relações comerciais da Petrobras com a empresa Acergy, que irá instalar o gasoduto offshore (no mar), estão sendo tratadas normalmente de acordo com o contrato assinado entre as partes".Uma fonte da Acergy informou ontem que a empresa fornecedora da estatal está reivindicando um complemento de US$ 150 milhões no contrato de US$ 400 milhões fechado em abril do ano passado. A Acergy alega que está tendo problemas para fazer o seu trabalho, de lançamento dos dutos ao mar, já que a licença ambiental para a instalação do gasoduto, prevista para sair em agosto do ano passado, não foi liberada ainda. Ainda segundo esta fonte, a empresa está com a sua embarcação Acergy Piper parada, com toda a tripulação disponível, apenas aguardando a liberação da licença para que faça o lançamento dos dutos. A Acergy estaria pedindo à Petrobras um adiamento do cronograma por mais sete meses. A plataforma, que está sendo construída pelo Mauá Jurong, estava prevista para entrar em operação no início de 2009.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.