Petrobras nega aumento do gás de cozinha

O presidente da Petrobras, José Eduardo Dutra, disse hoje que os preços do gás de cozinha (GLP) estão defasados em relação aos preços no mercado internacional. Ele garantiu, no entanto, que não existe estudo para reajustar os preços. Dutra explicou que a decisão de não aumentar é empresarial e não política."Do ponto de vista do mercado de gás de cozinha e da composição desses preços nas margens da Petrobras, os estudos avaliaram que um aumento agora poderia ser até contraproducente", disse. Segundo ele, nos governos passados os aumentos expressivos nos preços do gás de cozinha refletiram na queda do consumo.Em relação ao reajuste da gasolina e do diesel, Dutra negou que haja uma defasagem entre os preços no Brasil e no mercado internacional. "Se for mantido o patamar do preço do petróleo no mercado mundial entre US$ 35 e US$ 37, acredito que não teremos um novo aumento nos próximos meses", disse.

Agencia Estado,

16 de junho de 2004 | 14h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.