coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Petrobras negocia empréstimo de US$ 10 bi com a China

A Petrobras assinou hoje um memorando de entendimento com o Banco de Desenvolvimento da China para o financiamento da exploração de petróleo na camada do pré-sal brasileira. Segundo o presidente da estatal, José Sérgio Gabrielli, o financiamento pode alcançar até US$ 10 bilhões, mas as negociações deverão ser fechadas apenas em maio, para que o contrato seja assinado durante a visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva a Pequim.Além deste memorando, a Petrobras também assinou o seu maior contrato de exportação com uma única empresa. A estatal chinesa Sinopec passa a receber do Brasil entre 60 mil e 100 mil barris de petróleo por dia a partir de agora. Gabrielli informou que as condições de financiamento com o Banco de Desenvolvimento da China são de longo prazo - mais de dez anos -, com as exigências de mercado. O teste de longo prazo na camada pré-sal começa em março ou abril deste ano e, pelos cálculos da Petrobras, a exploração efetiva demandará investimentos de US$ 111 bilhões até 2020, dos quais US$ 29,8 bilhões deverão ser injetados até 2013.A assinatura dos documentos aconteceu no Palácio do Itamaraty, em Brasília, em cerimônia oficial da visita do vice-presidente da China, Xi Jin Ping.Novas captaçõesO diretor da área financeira da Petrobras, Almir Barbassa, disse hoje que a estatal no momento não está avaliando o mercado de capitais para novas captações. "Estamos deixando o mercado descansar depois dessa última (de US$ 1,5 bilhão, há duas semanas)", disse Barbassa, destacando os papéis da empresa estão apresentando "muito bom" desempenho.A estatal já havia divulgado que teria para 2009 investimentos de US$ 12,5 bilhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e mais US$ 5 bilhões de empréstimo-ponte de uma série de bancos brasileiros, dos quais US$ 1,5 bilhão já foram lançados no mercado de capitais. Para 2010, também conta com US$ 10 bilhões do BNDES, mas precisaria de mais US$ 8,5 bilhões.

DENISE CHRISPIM MARIN E KELLY LIMA, Agencia Estado

19 de fevereiro de 2009 | 16h52

Tudo o que sabemos sobre:
créditoPetrobrasChina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.