Petrobrás negocia empréstimo de US$ 10 bilhões com a China

Petrobrás negocia empréstimo de US$ 10 bilhões com a China

Exigência de vincular parte do valor à compra de bens fabricados na China ainda é entrave [br]ao novo financiamento

Cláudia Trevisan, O Estado de S.Paulo

28 de março de 2010 | 00h00

A Petrobrás negocia novo empréstimo de US$ 10 bilhões com o Banco de Desenvolvimento da China (BDC), que concedeu à estatal linha de financiamento no mesmo valor no ano passado, disse ao Estado uma fonte que participa das discussões.

Se as duas partes chegarem a um acordo, o negócio será anunciado durante a visita que o presidente da China, Hu Jintao, fará ao Brasil, em 15 e 16 de abril. O empréstimo em vigor foi fechado em maio de 2009, quando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva esteve em Pequim.

Por enquanto, a Petrobrás utilizou apenas US$ 5 bilhões da linha de crédito em vigor. Dos US$ 5 bilhões restantes, US$ 3 bilhões só poderão ser sacados para compra de máquinas e equipamentos produzidos na China.

Esse é um dos principais pontos de discordância. O BDC exige que parte do valor seja novamente vinculada à compra de bens fabricados na China. Mas, com a regra de conteúdo nacional mínimo adotada pela Petrobrás, isso se tornou inviável.

O novo crédito teria como garantia a venda de petróleo para a estatal Sinopec, modelo idêntico ao utilizado no financiamento anterior. Pelo acordo, a Petrobrás se comprometeu com a exportação de petróleo por um período de dez an0s ? 150 mil barris de petróleo/dia no primeiro ano e 200 mil barris/dia nos nove anos seguintes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.