Petrobrás: oscilações não afetaram rendimento

A rentabilidade acumulada pelos fundos da Petrobrás apresentou um ligeiro recuo semana passada. De acordo com a Associação Nacional dos Bancos de Investimento (Anbid), os fundos com recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) estão rendendo no ano em média, até quinta-feira, 59,03% e os fundos com recursos próprios, 60,29%. Mesmo com as oscilações registradas no mercado acionários nos últimos dias, a ação ordinária (ON, com direito a voto) da estatal segue com boas perspectivas, devido ao histórico da ação, à projeção de lucro recorde da empresa em 2001 e ao aumento do interesse dos investidores pelos papéis do setor de energia. O analista de investimentos da Corretora Novação, Felipe Laier, diz que, se não houver outras crises no mercado externo, a ação deverá ter boa valorização. "O mercado prevê que a ação chegue a R$ 70,00 no próximo ano. Isso significa uma valorização de 28% sobre a cotação de sexta-feira."Para o sócio-diretor da Corretora Compacta, Márcio Silveira Correa da Veiga, o desempenho de Petrobrás ON deve superar o Ibovespa - Índice que mede a valorização das ações mais negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). "A revolução na gestão da estatal, dando a ela características de privada, aumenta o faturamento e o lucro no longo prazo. Isso é muito importante em um mercado que valoriza tanto um futuro promissor."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.