Petrobras: parceria aguarda reforma em lei do México

A parceria entre as estatais de petróleo Petrobras e Pemex aguarda a conclusão da reforma do setor de energia que está sendo proposta pelo governo mexicano. Hoje, as companhias estrangeiras e privadas envolvidas em atividades de exploração no México têm de se limitar a atuar como prestadoras de serviço para a Pemex. "Nós não podemos fazer negociação com o México hoje, porque a lei mexicana proíbe. A Pemex não pode fazer nenhuma associação com empresas internacionais para explorar no México", afirmou o presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, em entrevista à Agência Estado durante a Offshore Technology Conference (OTC), em Houston, Texas."Nós fizemos uma proposta à Pemex há algum tempo, sobre a possibilidade de trabalharmos juntos fora do México, mas a Pemex optou por não fazer, porque considerou que a prioridade dela era investir dentro do País. Então, estamos esperando mudança no México para, a partir daí, avaliar as condições", acrescentou.Hoje, também durante a OTC, o diretor geral da Petróleos Mexicanos (Pemex), Jesús Reyes-Heroles, confirmou que a Petrobras aguarda a conclusão da reforma para negociar. "Estive com o presidente Sergio Gabrielli recentemente, e ele foi muito claro ao dizer que aguarda a conclusão da reforma no país", afirmou Heroles. "Como a reforma ainda não saiu, não temos novidades."O projeto do presidente do México, Felipe Celderón, propõe maior flexibilidade aos contratos, possibilitando que as companhias contratadas se beneficiem das explorações mais bem-sucedidas, sem que a Pemex abra mão da propriedade do petróleo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.