Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Petrobras participará de reunião na Arábia Saudita

O presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, e os presidentes de várias outras companhias petrolíferas dos Estados Unidos e da Europa vão se reunir no próximo domingo (dia 22) na Arábia Saudita, em um encontro de grandes produtores e consumidores de energia. Além de Gabrielli, estarão no encontro os presidentes das petrolíferas norte-americanas ExxonMobil, Rex Tillerson; Chevron, David O''Reilly e ConocoPhillips, Jim Mulva; da italiana Eni, Paolo Scaroni; e da francesa Total, Christophe de Margerie. Também foi convidado o presidente da estatal malaia Petronas, Sri Mohd Hassan Marican. A reunião ocorrerá na cidade de Jeddah, na costa do Mar Vermelho, e também terá a presença de ministros de economia e energia de 26 países, incluindo China, Índia e México. A lista de presenças confirmadas sugere que o reinado tem obtido sucesso na atração de figuras importantes do setor de energia com um comunicado breve, em um momento em que os formuladores de políticas expressam cada vez mais o desejo de controlar a disparada dos preços do petróleo, que se aproximaram da cotação de US$ 140,00 o barril. A alta já chegou a 40% este ano.Também estão previstas as presenças de vários ministros dos 13 países da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), do primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, e do secretário de energia dos EUA, Samuel Bodman. Executivos dos bancos norte-americanos Goldman Sachs e Morgan Stanley não vão comparecer, ao contrário do que se acreditava inicialmente.A Arábia Saudita, maior produtor mundial de petróleo, convocou a reunião na semana passada, em um esforço para ajudar a estabilizar os preços da matéria-prima (commodity) e organizar um fórum para discussão entre os lideres das empresas petrolíferas nacionais e internacionais. O país deve anunciar um aumento de sua produção nesta reunião, mas a magnitude do aumento não está clara. As informações são da Dow Jones.

HÉLIO BARBOZA, Agencia Estado

17 de junho de 2008 | 15h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.