Petrobras perde liminar que suspendia cobrança da ANP

A Petrobras anunciou hoje que a decisão em primeira instância no mandado de segurança em que a estatal petrolífera solicitava a suspensão de cobrança, pela Agência Nacional do Petróleo (ANP), das diferenças de participação especial no campo de Marlim, na Bacia de Campos, não foi favorável à empresa. A ANP cobra da Petrobras cerca de R$ 1,3 bilhão (valor não atualizado) referente à participação especial sobre o campo de Marlim.Em comunicado divulgado ao mercado, a Petrobras disse que o juízo da 30ª Vara Federal do Rio de Janeiro decidiu revogar a liminar anteriormente concedida. Segundo a Petrobras, a companhia "mantém o seu entendimento de que os recolhimentos realizados a título de participação especial do campo de Marlim sempre foram baseados em metodologia referendada pela própria ANP e em interpretação juridicamente legítima". A Petrobras informa, ainda, que irá interpor o recurso competente em face da decisão de primeira instância.

AE, Agencia Estado

08 de julho de 2008 | 08h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.