Petrobras pode deixar áreas se royalty subir nos EUA

O presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, criticou ontem a possibilidade mudança na lei de cobrança de royalties sobre a exploração do petróleo nos Estados Unidos. A estatal opera atualmente cerca de 300 blocos no Golfo Americano. "É uma mudança de regras que ameaça a economicidade de alguns blocos", disse o executivo, revelando que a empresa pode abandonar algumas áreas por conta do aumento da cobrança.Segundo Gabrielli, os royalties cobrados hoje pelos Estados Unidos são baixos, mas deverão dobrar. "Isso abala a estrutura de confiança e a transparência do marco regulatório", ressaltou. Ele admitiu, entretanto, que "em tempos em que o preço do barril de petróleo está nas alturas, todo mundo quer ganhar mais, faz parte do jogo". Para o executivo, trata-se de um movimento cíclico, "e estar neste setor significa ter que aceitar riscos".O presidente participou de jantar realizado com a imprensa, na noite de ontem, para fazer um balanço das atividades da companhia em 2007.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.