Petrobrás pode se tornar a quarta maior empresa do mundo

Estatal vai disputar com a Microsoft a quarta posição entre as maiores companhias em valor de mercado

Nicola Pamplona / RIO, O Estado de S.Paulo

25 de setembro de 2010 | 00h00

Concluído o processo de capitalização, a Petrobrás passará a brigar com a Microsoft pelo quarto lugar entre as maiores companhias do mundo em valor de mercado. Segundo estimativa da própria estatal, sua valorização em bolsa ficará entre R$ 362,8 bilhões e R$ 368 bilhões ao final do processo - o valor definitivo depende da realização ou não de uma oferta suplementar de ações.

Ao câmbio de ontem (R$ 1,71), o valor de mercado da estatal em dólares vai variar entre US$ 212,1 bilhões e US$ 215,2 bilhões, o que a coloca na disputa com a Microsoft pelo quarto lugar na lista das maiores empresas do mundo. Segundo dados da Bolsa de Nova York, a empresa fundada por Bill Gates fechou o pregão de ontem valendo US$ 214,4 bilhões, em alta de 1,41%.

Acima das duas companhias, estão apenas a petroleira americana Exxon, maior do mundo com valor de mercado de US$ 314,4 bilhões, a companhia de tecnologia Apple, também dos Estados Unidos, e a petroleira chinesa Petrochina. As duas últimas vêm protagonizando uma disputa pela segunda colocação: ontem, a empresa de Steve Jobs ultrapassou a chinesa no ranking.

A troca causou surpresa entre investidores. Em meados de 2008, a Petrochina chegou a divulgar uma meta de atingir US$ 1 trilhão em valor de mercado. Com a crise, porém, suas ações caíram a menos da metade do que valiam na época e hoje a empresa vale US$ 265 bilhões em bolsa. A Apple, por sua vez, vem se beneficiando das boas perspectivas de vendas de seus principais produtos, iPad e iPhone.

A capitalização da Petrobrás, porém, não será suficiente para que a empresa recupere o valor de mercado atingido antes da crise financeira. Ao final do segundo trimestre de 2008, a companhia valia R$ 457,4 bilhões em bolsas de valores, recorde provocado pela euforia nos mercados vigente naquele período - quando o preço do petróleo chegou a bater os US$ 150 por barril.

O valor de mercado projetado pela companhia após a conclusão da capitalização equivale ao valor registrado no primeiro trimestre de 2008: R$ 364,3 bilhões. Além dos impactos da crise financeira daquele ano, as ações da estatal sofreram bastante este ano com as incertezas com relação ao processo de capitalização. Entre janeiro e ontem, os papéis preferenciais da estatal tiveram queda de 36%.

O movimento de queda deve ser revertido no médio prazo, segundo analistas do mercado, que veem potencial para crescimento do valor da companhia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.