Estadão
Estadão

Petrobrás poderá reajustar combustíveis mais de uma vez por mês

De acordo com o diretor de Refino e Gás Natural da estatal, a mudança dependerá da volatilidade do preço do petróleo e do câmbio

Fernanda Nunes, Broadcast

11 Novembro 2016 | 17h34

SÃO PAULO - A Petrobrás poderá reajustar o preço dos combustíveis mais de uma vez por mês. Isso dependerá da volatilidade de variáveis como preço do petróleo e câmbio, que são levadas em conta na nova política da empresa, disse nesta sexta-feira, 11, o diretor de Refino e Gás Natural, Jorge Celestino.

A afirmação foi dada durante teleconferência do executivo com investidores da estatal. Celestino também lembrou que a nova política de preços da Petrobrás anunciada em outubro prevê a prática de avaliação de um eventual reajuste pelo menos uma vez por mês. Isso não impede, portanto, que o Grupo Executivo de Mercado e Preços da empresa realizae mais de um reajuste em um mês.

Durante a conversa, agerente-executiva de Relações com Investidores da Petrobras, Isabela Rocha, afirmou que a estatal trabalha hoje com margens de combustíveis superiores às previstas no plano de negócios. 

Isabela destacou que o preço dos derivados de petróleo nas refinarias é formado pelos custos de importação, por margens e custos de risco de importação e tributos.

Com a retração do consumo interno, por causa da crise econômica, a demanda por combustíveis caiu do segundo para o terceiro trimestre em 1%. Em relação ao terceiro trimestre do ano passado, a queda é de 8,5%. 

Na última terça-feira, a companhia voltou a reduzir seus preços de gasolina e diesel, citando uma queda de sua participação de mercado em meio a crescentes importações pelos concorrentes./COM REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.