Petrobras prevê auto-suficiência apenas em 2006

A Petrobras adiou em um ano a meta de auto-suficiência na produção de petróleo. Segundo o novo planejamento estratégico da companhia, divulgado em teleconferência com analistas de mercado, a equalização entre oferta e demanda por petróleo e derivados no Brasil só será atingida em 2006. A versão anterior do planejamento previa a auto-suficiência em 2005. De acordo com o diretor financeiro da estatal, José Sérgio Gabrielli, a mudança foi provocada pelo atraso na construção das plataformas P-43, P-48, P-50, P-51 e P-52. As duas primeiras estão sendo construídas pela Halliburton, que não conseguiu seguir o cronograma e negocia com a estatal como serão aplicadas as multas previstas no contrato. As duas últimas estão em processo de licitação, atrasado devido à inclusão de percentuais mínimos de compras no Brasil pelo governo Lula. Gabrielli disse que a entrada em operação do campo de Jubarte, no Espírito Santo, e o aumento da produção do campo de Marlim Sul, na Bacia de Campos, compensam "em parte" os atrasos. Estes projetos vão garantir que a produção da estatal chegue a 1,82 milhão de barris em 2005, volume menor que os 1,9 milhão de barris diários previstos na primeira versão do planejamento estratégico. Para 2007, a meta de produção é de 2,22 milhões de barris por dia. LicitaçãoA licitação para a construção das plataformas P-53 e P-54 da Petrobras deverá sair ainda este semestre, afirmou o diretor de Exploração e Produção da Petrobras, Guilherme Estrela, durante a teleconferência. As plataformas vão operar respectivamente em Marlim Leste e no módulo 2 de Roncador, ambos na Bacia de Campos. "Estamos trabalhando detalhadamente no modelo (das plataformas), porque são plantas estratégicas para o aumento da produção previsto pela Petrobras", explicou Estrela.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.