Petrobras prevê forte competição na 9ª Rodada da ANP

Apesar da retirada de 41 blocos de alto potencial da 9ª Rodada de Licitações da Agência Nacional do Petróleo (ANP), o diretor Financeiro e de Relações com Investidores da Petrobras, Almir Barbassa, aposta numa forte competição entre as empresas. "Teremos uma disputa bastante forte, dado o número recorde de empresas inscritas. Haverá uma grande competição", avaliou hoje o executivo, antes de participar de evento promovido pelo Instituto Nacional de Investidores (INI), em Campinas.A 9ª Rodada será realizada amanhã, no Rio de Janeiro. A ANP irá ofertar ao mercado 271 blocos, espalhados pelas Bacias de Santos, de Campos, do Espírito Santo, do Pará/Maranhão, de Pernambuco e da Paraíba. As 41 áreas retiradas estão localizadas na zona do pré-sal, onde está o megacampo de Tupi, na Bacia de Santos, com reservas estimadas entre 5 e 8 bilhões de barris de óleo equivalente.Barbassa garantiu também que a Petrobras "virá com apetite" para o leilão. "Nas rodadas anteriores, tivemos uma participação muito importante". A julgar pelo nosso histórico na licitação, devemos ter uma posição relevante", disse o executivo.Ele afirmou que "não faria sentido" a companhia diminuir a sua presença nos leilões, em razão dos bons resultados obtidos até hoje. "Foi participando das rodadas que chegamos ao atual nível de reservas. Por que iríamos eliminar esse caminho?", questionou o executivo. Barbassa, porém, não soube informar quais áreas interessam à Petrobras. "Isso só o pessoal da área técnica, de exploração e de produção sabem", afirmou.Questionado se a nova constituição na Bolívia poderia atrapalhar a retomada dos investimento naquele país, o diretor limitou-se a dizer que "o importante é a manutenção da estabilidade do marco regulatório do setor de petróleo e gás boliviano".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.