Petrobras procura sócios para explorar gás em Santos

A Petrobras pode abrir para a iniciativa privada as reservas gigantes de gás natural da Bacia de Santos para colocar os campos em produção o mais rapidamente possível. "Temos limites de orçamento e aquelas reservas vão demandar investimentos muito altos", disse o diretor de gás e energia da estatal, Ildo Sauer, sem especificar o volume de recursos necessários. Antes mesmo do anúncio oficial, grandes grupos multinacionais já vêm assediando a companhia em busca de participação nos projetos.As reservas de Santos são as maiores do Brasil, com cerca de 400 bilhões de metros cúbicos de gás natural e potencial para um volume ainda maior, a partir dos trabalhos de avaliação que a empresa ainda realiza. O volume já descoberto pode garantir uma produção de até 70 milhões de metros cúbicos por dia, ou mais de duas vezes a capacidade de importação pelo Gasoduto Bolívia-Brasil (Gasbol), de 30 milhões de metros cúbicos diários. Entre as companhias interessadas em entrar no projeto, estariam a anglo-holandesa Shell, a britânica BG, a espanhola Repsol e a norueguesa Statoil, segundo executivos do setor. A operação esbarra na resistência do governo em apoiar um projeto de exportação do gás para os Estados Unidos - desejo de todas as empresas citadas. De acordo com fontes da Petrobras, a empresa hoje estuda repetir o modelo também para os campos gigantes de petróleo de Jubarte e Cachalote, no Espírito Santo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.