seu bolso

E-Investidor: O passo a passo para montar uma reserva de emergência

Petrobras quer chegar à marca de 2 milhões de barris por dia

Empresa conta hoje com 40 projetos de exploração e produção, e produz cerca de 1,85 milhão de barris diários

Jacqueline Farid, da Agência Estado,

02 de outubro de 2007 | 16h19

O diretor de exploração e produção da Petrobras, Guilherme Estrella, disse nesta terça-feira, 2, que a empresa deverá atingir uma produção de dois milhões de barris ao dia de petróleo no final de 2007. "Pretendemos fechar o ano com crescimento de reservas e estamos fazendo esforços para atingir o pico de dois milhões de barris diários de petróleo." Segundo ele, a empresa conta hoje com 40 projetos de exploração e produção, e tem uma produção atual de cerca de 1,85 milhão de barris por dia de petróleo. O diretor afirmou que a estatal vai participar ativamente da 9.ª Rodada do leilão da Agência Nacional do Petróleo (ANP), que será realizado no final de novembro. Segundo ele, a participação ocorrerá com outros parceiros. Confaz Estrella afirmou também que a decisão tomada pelo Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), na última sexta-feira, de anular a isenção de ICMS para empresas beneficiárias do Repetro (no qual se inclui a Petrobras), levará a uma revisão dos projetos da empresa. "Nossos projetos passam por uma rigorosa avaliação, a indústria petrolífera está enfrentando aumento de custos e o aumento de impostos certamente irá impactar os nossos projetos. Estamos tomando todas as providências técnicas para enfrentar essa situação", disse. "(A estatal) fará uma nova rodada de revisão dos projetos, e pode até ocorrer algum cancelamento", disse o diretor, acrescentando que, mesmo assim, irá continuar "conversando com o governo do Estado". O executivo explicou que a Petrobras tem conseguido reduzir os custos de seus projetos com a utilização do recurso de repetibilidade (aproveitamento das bases técnicas de projetos anteriores). Mas ainda assim considera a decisão do Confaz como "mais uma dificuldade". Estrella disse que é particularmente favorável ao pagamento de impostos na produção de petróleo, "mas não ao ponto de inviabilizar nossos projetos". Segundo ele, as negociações são permanentes com o governo fluminense, e a expectativa é de que não haja problemas na continuidade dos projetos definidos. Plataformas  O diretor da Petrobras disse que a entrega das plataformas P-55 e P-57, que irão para a Bacia de Campos, está prevista para o período entre 2011 e 2012. Estrella disse que estava de férias e não teve informações detalhadas sobre o processo de licitação das duas plataformas. Mas adiantou que já está em fase avançada. Segundo ele, a estatal está antecipando a entrada em operação da P-56 para compensar o atraso em entrada de operação das duas plataformas, prevista inicialmente, segundo ele, para o período entre 2009 e 2010.

Tudo o que sabemos sobre:
Petrobras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.