André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Petrobrás quer divulgar balanço auditado até o fim do mês de maio

Estatal disse que procura uma metodologia adequada para avaliar as perdas com corrupção

Fernanda Nunes, O Estado de S. Paulo

12 Fevereiro 2015 | 20h53

A Petrobrás divulgou comunicado oficial reafirmando informações divulgadas após a publicação do resultado financeiro não auditado relativo ao terceiro trimestre do ano passado. A empresa reafirma que a metodologia utilizada por auditorias independentes para calcular o valor dos ativos da petroleira, que chegou a uma indicação de baixa contábil de R$ 88,6 bilhões, se mostrou inadequada. A empresa diz ainda que está aprofundando a metodologia do balanço.

A intenção da empresa é divulgar o balanço auditado de 2014 até o fim de maio e assim evitar o pagamento antecipado de dívidas, como prevê contratos firmados com financiadores. O prazo é, na verdade, de 30 de abril. Mas há ainda uma tolerância de 30 dias (primeiro prazo) concedida pelos credores. Com isso, a tolerância se estende até 30 de maio.

Em comunicado, a empresa reafirmou ainda que está revisando o seu plano de investimento para o período de 2015-2019, e a perspectiva é de redução dos investimentos. A ex-presidente da petroleira Graça Foster já havia informado, durante a apresentação do resultado do 3º trimestre, que a Petrobrás irá reduzir de tamanho. Além disso, por causa da necessidade de fazer caixa, programa vender ativos, inclusive de áreas de exploração e produção, mas aguarda, para isso, a valorização do preço do petróleo no mercado internacional.

Financiamento. Novas possibilidades de financiamento também estão sendo analisadas, diz a empresa. Mas não há perspectiva de recorrer ao mercado financeiro, com o lançamento de ações.

Com as mudanças nos ministérios e na diretoria da Petrobrás, o conselho de administração será alterado, informa a estatal. Isso pode acontecer a qualquer momento, mas o novo quadro deve ainda ser aprovado em assembleia de acionistas, que ainda não tem data prevista para ocorrer.

Mais conteúdo sobre:
petrobrás balanço crise

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.