Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Petrobras quer elevar captação interna e pulverizar dívida

A Petrobras quer ampliar mecanismos de captação interna de recursos, principalmente para os seus projetos de gás natural. Uma das opções é criar canais de captação diretamente junto ao investidor. Segundo o gerente de estruturações financeiras da estatal, Laerte Pires Rocha, a intenção da estatal é que os papéis de dívidas que hoje ficam nas mãos de grandes investidores passem a ser acessíveis a um maior número de poupadores. "Nossa intenção é que um dia o investidor que quiser emprestar à Petrobras possa fazer isso diretamente, sem precisar dos bancos. Mas num estágio intermediário o que vai acontecer é um gerente custodiando lotes de papéis", disse.Segundo ele, como os projetos de gás natural renderão à Petrobras uma receita em real "faz mais sentido" captar recursos em real, diferentemente do caso do petróleo, cujo barril é cotado em dólar e portanto a receita da Petrobras é na mesma moeda. A intenção da estatal já existia, mas foi incrementada com as novas descobertas na Bacia de Santos, que elevaram as reservas do País a cerca de 600 bilhões de metros cúbicos e possibilitaram maior expansão do mercado nacional do combustível, sem dependência externa.Novas regrasSegundo Rocha, o comprometimento da estatal em criar mecanismos internos de captação de recursos para seus projetos ainda aguarda as definições sobre a nova legislação do mercado de ações que está sendo preparada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). "Aguardamos uma maior flexibilização das regras para que os investidores possam comprar diretamente títulos da Petrobras", afirmou. Ele destacou, porém que há uma diferença entre o que a CVM está pretendendo para sua legislação e o que a Petrobras quer fazer com suas dívidas. "A nova regulamentação que a CVM está fazendo é voltada para empresas grandes venderem seus títulos em papéis de até R$ 1 mil em termos de valor unitário. No caso da Petrobras é um pouquinho diferente: pretendemos colocar título de empresas ligadas à estatal ou a determinado projeto da Petrobras", afirmou. Ou seja, as subsidiárias da empresa, inclusive as Sociedades de Propósito Específico (SPE) colocariam os seus próprios títulos.

Agencia Estado,

18 de setembro de 2003 | 13h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.