Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Petrobras quer manter obras com irregularidades

Diretores da Petrobras defenderam ontem a continuidade de obras da empresa que apresentaram indícios de irregularidades, segundo avaliação do Tribunal de Contas da União (TCU). Para o gerente-executivo da área de Engenharia da Petrobras, Pedro Barusco, eventuais paralisações trariam ?prejuízo à sociedade?. Os diretores foram ouvidos no Congresso, num comitê da Comissão Mista de Orçamento, destinado a analisar indícios de irregularidades em obras e serviços feitos com recursos públicos.Segundo relatório apresentado pelo TCU, foram descobertos indícios de problemas nos contratos de refino e de gás natural das refinarias de Presidente Vargas (Repar), no Paraná, e na de Duque de Caxias (Reduc), no Rio de Janeiro. Também foram detectados indícios de irregularidades nos contratos do Programa de Oferta de Petróleo e Gás Natural (Plangás) e nos contratos de transporte dutoviário de petróleo e derivados do porto de Pecém, no Ceará.Se o Congresso decidir acatar o relatório do TCU, não seria permitido apresentar emendas orçamentárias destinando os recursos necessários para a continuidade desses programas. Por causa disso, os diretores da Petrobrás confirmaram que a empresa já enviou justificativas ao TCU sobre os problemas detectados e propostas de saneamento posterior para as falhas. E acreditam que, com isso, poderão impedir o cenário de paralisação. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.