Petrobras: reajuste virá se alta do petróleo for de longo prazo

O diretor financeiro da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, admitiu hoje que a estatal pode reajustar os preços dos combustíveis se for confirmada a tendência de alta no longo prazo da cotação do petróleo no mercado externo. "Se a política de preços altos se mantiver, vamos ter que aumentar os preços", afirmou. Entretanto, o executivo ponderou que as atuais oscilações no preço do barril no mercado internacional ainda não estão afetando os resultados da empresa.Gabrielli explicou que a queda de 28% no lucro da Petrobras no primeiro trimestre do ano frente ao mesmo período do ano passado refletiu basicamente a redução de preços dos combustíveis feita pela estatal, em abril do ano passado, e que vem sendo mantida. Além disso, houve também uma que da de 2% na vendas da companhia.Déficit na balança comercialA Petrobras voltou a ser deficitária em sua balança comercial no primeiro trimestre do ano ? importações maiores que exportações. O déficit no período foi US$ 50 milhões e refletiu principalmente o aumento de 345% das importações líquidas feitas no período frente ao mesmo período do ano passado.Gabrielli explicou que o incremento refletiu a necessidade de recomposição de estoques e a redução de importação de diesel e derivados. O executivo disse que o aumento nos custos dos derivados de petróleo no mercado internacional levou a empresa a preferir importar mais óleo cru e aumentar a capacidade de refino no país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.