Petrobras recebe prêmio por modernização de refinaria

A Petrobras recebeu em Londres o prêmio "Latin America Deal of the Year" ("Negócio do Ano na América Latina"), concedido pela Project Finance International (PFI), uma das principais instituições mundiais na área de financiamento de projetos. Em nota divulgada nesta sexta-feira à imprensa, a empresa informou que o prêmio representa reconhecimento internacional da Estrutura Financeira do Projeto de Modernização da Refinaria Henrique Lage (Revap), a quarta maior unidade de refino da Petrobras, localizada em São José dos Campos. O valor total da linha de crédito para o projeto é de US$ 900 milhões.O Projeto de Modernização da Revap tem como objetivos aumentar o volume de conversão do óleo combustível em derivados mais leves e de maior valor agregado, elevar a qualidade do óleo diesel, ajustando-o às novas especificações nacionais, reduzir a emissão de poluentes e iniciar a comercialização de coque pela refinaria. As obras começaram no segundo semestre de 2006 e o início das operações está previsto para o primeiro semestre de 2009.O principal financiador do projeto é o Japan Bank for International Cooperation (JBIC), responsável por 54% da linha de crédito (US$ 486 milhões). O projeto ainda conta com US$ 378 milhões provenientes de um sindicato de bancos comerciais formado, entre outros, por Santander Banespa, Bank of Tokyo Mitsubishi e BNP Paribas; além de US$ 36 milhões provenientes das Trading Companies japonesas Mitsui e Itochu Corporation. A construção está sendo realizada pela empresa Toyo Engineering Corporation.Os contratos de financiamento foram assinados em maio de 2006 e o primeiro desembolso para o projeto ocorreu em 30 de junho de 2006.O prêmio foi recebido pela Gerente Geral de Finanças e Gestão de Captações da Petrobras, Neyde Sáfadi de Abreu. A Project Finance International (PFI) é uma organização especializada em estudar e divulgar todos os tipos de atividades relacionadas a estruturações financeiras de projetos, desde as fases iniciais de negociações até a finalização da obra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.