Petrobrás sobe, mas não evita baixa de 0,5% da Bolsa

As ações ON da Petrobrás subiram 2,20% e as PN, 2,31% no primeiro pregão após a provação do plano de investimentos da empresa

Claudia Violante, da Agência Estado,

25 de julho de 2011 | 17h41

O impasse para um acordo entre governo e oposição nos EUA para o endividamento público arrastou as bolsas para o vermelho neste início de semana. A mesma onda carregou o índice Bovespa da Bolsa de Valores de São Paulo, que caiu aos 59 mil pontos. Mas o bom desempenho das ações da Petrobrás - em reação ao plano de investimentos - e, em menor escala, da Vale garantiu um recuo menor do que o observado em Wall Street.

O Ibovespa terminou o dia em baixa de 0,50%, aos 59.970,54 pontos. Na mínima, registrou 59.640 pontos (-1,05%) e, na máxima, os 60.285 pontos (+0,02%). No mês, o índice acumula queda de 3,90% e, no ano, baixa de 13,47%. O giro financeiro totalizou R$ 4,422 bilhões. Os dados são preliminares.

Depois de ser vetado por duas vezes, o Conselho de Administração da estatal aprovou, na última sexta-feira, o plano de negócios da companhia pelo período de 2011 a 2015 que prevê US$ 224,7 bilhões em investimentos, dos quais 57% destinados à área de Exploração e Produção. Do total, outros 31% vão para a área de Abastecimento e Refino, 6%, para Gás e Energia, 1%, para a área corporativa, 2%, para petroquímica, 1% para distribuição e 2% para biocombustíveis.

As ações ON da Petrobrás subiram 2,20% e as PN, 2,31%. Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), o petróleo terminou em queda de 0,67%, a US$ 99,20 o barril.

As ações da Vale também inverteram o rumo e fecharam com ganhos, dando alguma sustentação ao Ibovespa à tarde. Nos ajustes, a ação ON recuou, 0,08% enquanto a PNA avançou 0,19%, em dia de queda do preço dos metais nas bolsas de commodities.

O apoio das blue chips foi insuficiente para segurar a Bolsa brasileira em alta. O impasse nos EUA para um acordo sobre o aumento do teto do endividamento do país, cujo prazo se aproxima (2 de agosto), segue alimentado a cautela dos investidores. A avaliação geral é de que teria havido um retrocesso no final de semana.

O Dow Jones terminou o pregão em baixa de 0,70%, aos 12.592,80 pontos. O S&P recuou 0,56%, aos 1.337,43 pontos, e o Nasdaq perdeu 0,56%, aos 2.842,80 pontos. Na Europa, as bolsas também caíram, ainda empurradas pelo rebaixamento, pela Moody''s, da nota de risco da Grécia. Foram três níveis de uma só vez, de Caa1 para Ca.

Tudo o que sabemos sobre:
BolsaBovespaaçõesPetrobras

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.