Petrobrás tem a maior perda de valor de mercado da AL

Estatal tem queda nominal de US$ 56,1 bilhões, ou 28,2%, entre a última segunda-feira e o final de 2009

Agência Estado

24 de agosto de 2010 | 15h19

A Petrobrás é a empresa de maior queda nominal de valor de mercado entre as companhias de capital aberto da América Latina, segundo levantamento realizado pela Economática com 751 empresas na região. De acordo com a consultoria, na segunda-feira, 23, a Petrobrás fechou com o valor de mercado de US$ 143,1 bilhões, ao passo que ao final de 2009 ela valia em bolsa US$ 199,3 bilhões, uma queda nominal de US$ 56,177 bilhões, ou 28,2% no período estudado.

Em segundo lugar no estudo está a Eletrobrás, com queda nominal de valor de mercado de US$ 8,3 bilhões, de US$ 23 bilhões ao final de 2009 para US$ 14,7 bilhões na segunda, uma variação negativa de 36,1%.

O terceiro lugar é ocupado por uma empresa de capital privado, a Gerdau, com queda nominal no valor de mercado de US$ 4,314 bilhões, saindo de US$ 21,791 bilhões em 31 de dezembro de 2009 para US$ 17,477 bilhões em 23 de agosto de 2010, variação de 19,8% no período.

Entre as 20 empresas de mais acentuada perda de valor de mercado, 16 são brasileiras, uma argentina (Tenaris, na quarta posição geral) e três mexicanas (Cemex, em 7º; Elektra, em 12º; e Teléfonos de Mexico, em 14º). O cálculo do valor de mercado pela Economática não considera as ações em tesouraria.

Por setor, telecomunicações domina a lista, com cinco representantes (entre as quais Telemar, em 9º; Brasil Telecom, em 10º; e Embratel Participações, em 11º), e em seguida, siderurgia e metalurgia, com três (além de Gerdau e Tenaris, a Gerdau Metalúrgica, em 19º lugar); depois, o setor bancário, com dois (Santander em 5º e Itaú Unibanco, em 6º).

Tudo o que sabemos sobre:
BolsaPetrobrasEletrobrasEconomática

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.