Petrobras tem interesse em unidades de fertilizantes

O diretor de Abastecimento e Refino da Petrobras, Paulo Roberto Costa, confirmou hoje o interesse da estatal em construir novas unidades de fertilizantes no País. A declaração segue a mesma linha da determinação feita hoje pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva aos ministros da Casa Civil, Dilma Rousseff, e de Minas e Energia, Edison Lobão, para que analisem com as diretorias da Petrobras e da Vale a possibilidade de elevarem no curto prazo a produção de insumos destinados à produção de fertilizantes, de modo a reduzir a dependência brasileira das importações de adubos.Hoje, a Petrobras possui duas unidades de uréia e amônia para produção de fertilizantes em funcionamento, na Bahia e em Sergipe. Não há ainda a previsão sobre qual seria o local das novas fábricas de fertilizantes. Ele afirmou que o ponto-chave para a localização será a existência de matéria-prima.Costa lembrou que no passado a Petrobras tinha planos de investimentos em uma unidade de fertilizantes na Região Centro-Oeste, que utilizaria o gás natural vindo da Bolívia. Para isso, haveria a necessidade de aumentar a capacidade de transporte do gasoduto que liga os dois países. Com a nacionalização das reservas de petróleo no país vizinho, o Brasil suspendeu os investimentos para ampliar este gasoduto, e com isso também pararam os estudos para a construção da fábrica de fertilizantes.Ainda segundo o diretor, na linha de buscar a auto-suficiência brasileira em fertilizantes, a Petrobras poderá voltar a licitar as reservas de potássio na Amazônia. A estatal já tinha tentado licitar estas reservas entre 2006 e 2007, sem sucesso. Encontrado no mineral silvinita, o potássio está depositado numa região chamada Nova Olinda, às margens do Rio Madeira (Pará), a 1,2 mil metros de profundidade. Segundo dados divulgados pela estatal à época da licitação, existem no local reservas significativas.

KELLY LIMA, Agencia Estado

09 de junho de 2008 | 18h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.