Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Petrobras tem lucro recorde de R$ 8,78 bi no 2º trimestre

Elevação do preço internacional do petróleo e reajuste no preço da gasolina e do diesel ajudam ganhos

Reuters,

11 de agosto de 2008 | 18h18

Maiores preços e vendas garantiram à Petrobras um lucro recorde de R$ 8,78 bilhões no segundo trimestre, uma alta de 29% em relação ao resultado registrado há um ano, R$ 6,8 bilhões. "É com grande satisfação que apresento o maior lucro líquido trimestral da história da companhia", comentou o presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, em um comunicado.   Veja também: Veja a história e os números da Petrobras   O diretor financeiro, Almir Barbassa, disse a jornalistas que o resultado "é fruto de preços maiores, de uma produção maior e redução nos custo operacionais". O lucro ficou acima da previsão média de seis analistas ouvidos pela Reuters, que apontava R$ 7,982 bilhões.   Além do elevado preço do petróleo no mercado internacional, a estatal reajustou o preço da gasolina e do diesel em maio de 2008, o que ajudou nos ganhos.   O lucro antes de juros, impostos e amortizações (Ebitda) ficou em R$ 18,13 bilhões, contra os R$ 14,2 bilhões registrados no mesmo período do ano passado.   Na comparação semestral, o crescimento do lucro líquido foi de 44%, para R$ 15,7 bilhões. O Ebitda no semestre foi de R$ 32 bilhões, aumento de 27% ante os R$ 25,2 bilhões registrados no mesmo período de 2007.   "O caixa gerado foi importante instrumento para viabilizar os investimentos, que alcançaram 20,9 bilhões de reais no primeiro semestre de 2008", segundo nota divulgada ao mercado.   Em relatório, a Petrobras informou que, com pressões de demanda e restrições de oferta, o preço do barril de petróleo saltou do patamar médio de US$ 70 no segundo trimestre de 2007 para US$ 121 no segundo trimestre de 2008.   "Se por um lado indicou maior receita para a companhia, por outro significou pressões de custo, o que reforçou a necessidade de aumentar a eficiência na gestão dos recursos", acrescentou a empresa na nota.

Tudo o que sabemos sobre:
PetrobrasPetróleoLucro de empresas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.