Petrobras tem participação tímida no leilão da ANP

Em sua participação mais tímida em todas as rodadas de licitações de áreas de exploração de petróleo e gás já realizadas pela Agência Nacional de Petróleo (ANP), a Petrobras arrematou 25 dos 45 lotes que disputou até agora na 9ª Rodada. Na maioria deles, a estatal contou com parceiros, principalmente a estreante Companhia Vale do Rio Doce, além de Maersk, Devon e Starfish.Constante em parcerias nas rodadas anteriores com a Petrobras, a portuguesa Petrogal compôs apenas um consórcio vitorioso para arrematar uma área na Bacia de Campos. Este consórcio também contou com a participação da colombiana Ecopetrol, que havia estreado em rodadas no Brasil no leilão do ano passado (8ª Rodada), suspenso na Justiça.Antes da oferta do nono lote - com a segunda parte de blocos localizados na Bacia de Santos - a participação contida da Petrobras no leilão podia ser constatada pelo total de bônus de assinaturas pagos por ela em parcerias vitoriosas: apenas R$ 56,5 milhões de mais de R$ 1,8 bilhão de bônus arrecadado neste leilão. Com a vitória em blocos da Bacia de Santos, este volume se elevou para R$ 182,5 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.