Petrobrás terá 40% de campo na Venezuela, diz Lula

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva reiterou ontem a disposição do Brasil de ter participação de 40% na exploração de petróleo na Plataforma de Carabobo 1, na faixa do Rio Orinoco, na Venezuela. Em contrapartida, a Venezuela poderá ter 40% da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco.Lula fez a declaração ao lado do presidente venezuelano, Hugo Chávez, no Palácio do Campo das Princesas, sede do governo pernambucano, no Recife. ''Mostramos a nossa disposição política, mas os administradores das nossas empresas (Petrobrás e PDVSA) discutem tecnicamente o que fazer'', disse.''Isso vai acontecer; pode não ser 40%, pode ser 30%, 45%, mas vai acontecer'', acrescentou, explicando que a parceria é do interesse estratégico dos dois países. Ele previu que a Refinaria Abreu e Lima, no litoral sul pernambucano, começará a funcionar em 2010. Petrobrás e PDVSA assinaram ontem um contrato prévio de associação para a construção da refinaria, com investimento de US$ 4,05 bilhões. Para assinar o contrato definitivo, será preciso resolver pendências com o estatuto e a participação da Petrobrás em Carabobo.Lula disse que os países do continente têm maturidade política para buscarem, juntos, o desenvolvimento da região. Segundo ele, no passado os governantes latino-americanos eram cegos e mudos. ''É como a Torre de Babel: todo mundo próximo, mas sem se entender e disputando quem era mais amigo dos presidentes americanos.''O presidente defendeu a integração e, dirigindo-se a Chávez, disse que ele pode contar com o Brasil. Para ele, o acordo entre Petrobrás e PDVSA mostra que as duas estatais deixaram de ser ''misses vaidosas'' para se transformar em empresas que pensam no desenvolvimento da região.Chávez recebeu o título de cidadão pernambucano e Lula o cumprimentou dizendo que ele passou de ''ex-guerrilheiro a pacificador''. Para o presidente, Chávez teve um discurso pacificador durante a invasão do Equador pela Colômbia. ''Lula está cada vez mais sábio. Ele comentou que a imprensa noticiou o acordo entre PDVSA e Petrobrás e foi parcial'', disse Chávez. COLABOROU ANGELA LACERDA

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.