Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Petrobras terá parceria com estrangeiros em usinas

A Petrobras vai ter ao menos 15% de participação acionária em usinas produtoras de álcool em parceria com empresários brasileiros e sócios estrangeiros. Um projeto da estatal prevê a construção de destilarias, basicamente em Goiás e Minas Gerais, exclusivamente para exportação. Os estudos, em fase final, prevêem que os sócios brasileiros tenham 70% da participação e os estrangeiros os 15% restantes. "O Japão é o grande foco nosso no álcool atualmente", revelou Luthero Moreira, da gerência de comercialização de álcool e oxigenados da Petrobras, que participou hoje do Simpósio Internacional Datagro/Udop, em Araçatuba (SP).Segundo ele, a empresa criada para produzir e administrar o álcool será independente da holding Petrobras e nenhuma gota do combustível produzido seria negociada no Brasil. "Juntamente com os contratos para a construção das unidades seriam feitos acordos de longo prazo para compra de combustível no Brasil e a venda no exterior", explicou o executivo. Ele não revelou o número de destilarias a serem construídas, mas o projeto original, sem a Petrobras como sócia, era de 26 unidades.Além do álcool, as destilarias teriam unidades anexas para produção de bioeletricidade e biodiesel, apenas para o consumo local. A Petrobras estuda ainda novas parcerias nesta mesma linha de sociedade com o setor privado para suas futuras usinas de biodiesel, além das três que está construindo sozinha.O álcool produzido nas destilarias seria escoado por meio do duto que ligará Senador Canedo (GO) a São Sebastião (SP), com ramal até Ilha D''água (RJ). Segundo Gilberto Ribeiro de Carvalho, gerente de Desenvolvimento de Novos Projetos da Petrobras, a construção do alcoolduto, em parceria com a japonesa Mitsui e a empreiteira Camargo Corrêa, começará em 2009 e o início da operação será a partir de 2010. A obra já tem um ramal com capacidade para operar a partir de Paulínia (SP) no sentido litoral-interior, o que proporcionaria o uso de trechos já prontos antes do término de todo o alcoolduto.

GUSTAVO PORTO, Agencia Estado

25 de fevereiro de 2008 | 19h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.