Petrobrás vai exportar álcool para a Nigéria

A Petrobras vai expandir seus negócios na Nigéria e até o início do próximo ano passará a exportar álcool combustível para o país africano. Um convênio entre a brasileira e a estatal Nigerian National Petroleum Corporation (NNPC) será assinado no próximo dia 15. Além disso, estão previstos US$ 1,9 bilhão em investimentos, nos próximos quatro anos, na construção e perfuração de dois poços de petróleo. O negócio irá aumentar a produção internacional da estatal de 270 mil barris/dia para 350 mil barris/dia, em 2009, quando os poços já devem ter atingido o pico de produção. O início está previsto para 2008."A Nigéria é a maior produção internacional individual da Petrobras", revelou o diretor-gerente da estatal na Nigéria, Samir Awad, que comandaos negócios da empresa no país há quase cinco anos. "A Nigéria também recebe o maior investimento da Petrobras fora do Brasil", completou. Já foram investidos US$ 500 milhões em pesquisa e prospecção dos dois poços:Agbami e Akpo, explorados em parceria com a americana Chevron e com a britânica Total, respectivamente. A Petrobras investe também no bloco 324, o primeiro de águas profundas a ser explorado fora do Brasil, mas ainda não foi descoberto um poço comercial.O convênio para a implementação de um programa do álcool na Nigéria prevê a importação do produto para ser misturado à gasolina mas, em um segundo momento, o Brasil dará suporte para produção na Nigéria. Awad disse que a Petrobras vai batalhar para exportar a mistura pronta dos dois combustíveis para agregar valor à operação. O álcool anidro deve substituir 10% do consumo de gasolina da Nigéria, de 30 milhões de litros por dia. Awad disse que ainda não é possível fazer previsão em valores do resultado do convênio com a estatal nigeriana. "Vai depender da demanda", explicou.Brasil produziu 18 bilhões de litros de álcool em 2004A produção de álcool brasileira foi de 18 bilhões de litros em 2004, sendo 8,8 bilhões para combustível. A balança comercial brasileira com a Nigéria é deficitária em mais de US$ 3 bilhões em função da importação de petróleo bruto pela Petrobras. As compras representam mais de 99% do total das importações do país africano. A empresa compra cerca de 150 a 180 mil barris por dia, o que torna o país africano o quinto maior fornecedor de petróleo para o Brasil.A estatal brasileira atua na Nigéria desde 1997, quando começou abertura da economia brasileira o que obrigou a empresa a rever sua estratégia comercial. "Foi a saída para a empresa crescer e o primeiro passo para a internacionalização da Petrobras", explicou Awad.Mesmo sendo pioneira na Nigéria, a Petrobras ainda enfrenta problemas no País. Ela vem tentando negociar um contrato que permita a compra do petróleo diretamente da estatal nigeriana. Atualmente, a importação é feita por meio de "tradings companies" selecionadas pela NNPC. Outros países como Índia e China já conseguiram uma concessão do governo nigeriano para comprar o produto sem intermediários.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.