SERGIO MORAES/REUTERS
SERGIO MORAES/REUTERS

finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Petrobrás volta a obter aval para oferta de R$ 3 bi

A CVM havia suspendido a oferta de títulos da estatal, após manifestação na mídia de executiva da companhia

Reuters

12 de setembro de 2019 | 21h19

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM), xerife do mercado financeiro, anunciou nesta quinta-feira, 12, que revogou a suspensão da oferta pública de debêntures da Petrobrás, justificando que a companhia tomou providências para sanar irregularidades que motivaram a punição.

A CVM havia suspendido a oferta de R$ 3 bilhões em 30 de agosto, após manifestação na mídia da diretora executiva de finanças e relacionamento com investidores da Petrobrás, Andrea Almeida, numa entrevista promovida pela corretora XP Investimentos.

Manifestações na mídia comentando perspectivas e cenários futuros são proibidas tanto por representantes da emissora quanto das entidades participantes da operação durante o período de ofertas públicas de valores mobiliários.

Dentre as providências citadas, segundo a autarquia, foi divulgado um comunicado ao mercado alertando que a decisão do investidor sobre participação na oferta deve ser baseada apenas nas informações dos prospectos e do formulário de referência, devendo ser desconsideradas eventuais manifestações por parte de seus representantes.

Desempenho

A decisão da Comissão de Valores Mobiliários foi anunciada depois do fechamento do mercado financeiro. Ao longo do dia, na B3, a Bolsa paulista, as ações da Petrobrás operaram em queda durante a maior parte do pregão. Os papéis preferenciais viraram a situação ao fim do pregão, fechando em alta de 0,71%, cotados a R$ 27,06.

Tudo o que sabemos sobre:
Petrobrásdebêntures

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.