Petroecuador e PDVSA negociam cooperação petrolífera

Representantes das empresas petrolíferas estatais do Equador, Petroecuador, e da Venezuela, PDVSA, se reuniram na quinta-feira em Quito para negociar um acordo de cooperação petrolífera entre os dois países.A operação permitirá ao Equador obter derivados de petróleo, sobretudo gasolina, a preços mais baixos. A economia prevista é de US$ 60 milhões por ano.O presidente da Petroecuador, Galo Chiriboga, informou que oencontro com os executivos da PDVSA permitiu afinar aspectos dacooperação técnica e industrial entre as duas estatais.Especialmente, "no tema de maior interesse para o país, que é orefino de petróleo equatoriano na Venezuela".Ele admitiu que "as negociações são complexas e, neste caso,durarão algum tempo", mas ressaltou que "existe a vontade decooperar entre as duas empresas".A Petroecuador e a PDVSA assinaram no ano passado um acordo dealiança estratégica, que incluía a possibilidade de refinar 100 mil barris diários de petróleo equatoriano em petroquímicas daVenezuela.O acordo foi suspenso devido a divergências entre as duasempresas sobre os preços. Mas, em dezembro, as duas companhiasretomaram as conversas.O chefe da Petroecuador explicou que na quinta-feira discutiu com o ministro de Energia da Venezuela e presidente da PDVSA, Luis Márquez, os aspectos gerais das negociações. A próxima reunião será realizada em Caracas, dia 8.Chiriboga também pediu assistência técnica da PDVSA para melhorar a capacidade da refinaria La Libertad, a mais antiga do Equador, que requer uma modernização integral.O presidente da PDVSA afirmou sua predisposição para coordenartodas as atividades relacionadas com os convênios entre as duasEstatais."Estamos em possibilidade de cooperar no âmbito técnico para asrefinarias, porque temos perícia e experiência, e esperamos que os acordos com Petroecuador dêem os melhores benefícios para ambos os lados", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.