Petroleiros avaliam dia 28 possibilidade de greve geral

Dois dias antes, os petroleiros param de trabalhar pelo período de 24 horas, em protesto contra o não-atendimento pela Petrobrás de sua reivindicações salariais

Sergio Torres, da Agência Estado,

24 de setembro de 2012 | 16h48

RIO - Na próxima sexta-feira, as lideranças da categoria dos petroleiros reúnem-se para discutir a possibilidade de vir a ser deflagrada uma greve geral por tempo indeterminado. Dois dias antes, os petroleiros param de trabalhar pelo período de 24 horas, em protesto contra o não-atendimento pela Petrobrás de sua reivindicações salariais.

O coordenador-geral da Federação Única dos Petroleiros (FUP), João Antônio de Moraes, disse que a hipótese de uma greve geral será discutida pelas lideranças a partir da avaliação da parada de um dia.

"Vamos traçar quais serão os próximos caminhos do movimento", disse ele, para quem a adesão ao movimento de quarta-feira será integral. "Todas as assembleias realizadas no país inteiro estão confirmando a proposta de greve de 24 horas", acrescentou.

A FUP pede 10% de aumento real para os petroleiros, acima da inflação. A Petrobrás propôs reajuste de 6,5%, mais gratificação. Não há reunião para novas negociações nos próximos dias.

Tudo o que sabemos sobre:
petroleirosassembleiagreve

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.