portfólio

E-Investidor: qual o melhor investimento para 2020?

Petroleiros da Replan estão na refinaria há 24 horas

Funcionários que entraram na manhã de ontem para trabalhar na Refinaria do Planalto (Replan), em Paulínia, região de Campinas, ainda permaneciam na empresa na manhã de hoje, de acordo com informações do coordenador regional do Sindicato Unificado dos Petroleiros do Estado de São Paulo, Danilo Silva. Os sindicalistas estudam medidas judiciais para a retirada desses trabalhadores da refinaria.

TATIANA FÁVARO, Agencia Estado

24 de março de 2009 | 09h39

Os funcionários foram mantidos nos postos porque, de acordo com os sindicalistas, ao menos 140 petroleiros foram impedidos de entrar para trabalhar nos turnos das 15h30 e 23h30 de ontem. A intenção dos representantes da categoria era de parar 50% das unidades de produção assim que os funcionários entrassem na refinaria.

Segundo informações do sindicato, representantes da empresa disseram que aceitariam a entrada mediante uma troca controlada, ou seja, cada homem do turno que começou às 7h30 deixaria a unidade e seria substituído, gradativamente, pelos empregados que permaneciam do lado de fora da refinaria, para evitar a ocupação do local pelos funcionários de dois turnos. Os sindicalistas não aceitaram a proposta. "Diante disso, não deflagramos a greve", afirmou Silva.

Em comunicado, a Petrobras informou que em locais onde se fez necessário, a empresa colocou equipes de contingência, e todas as unidades da companhia funcionam normalmente. A produção e segurança das operações e dos empregados não foram afetadas pelo movimento grevista, segundo informa nota oficial da estatal petrolífera. A companhia reafirmou o compromisso de manter a continuidade operacional e o abastecimento do mercado, e disse estar aberta a negociações.

Tudo o que sabemos sobre:
grevePetrobras

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.