Petroleiros decidem por greve de 48h a partir de quinta-feira

Paralisação nacional pretende pedir maior participação nos lucros e repudiar reação à greve no Rio

Reuters,

15 de julho de 2008 | 18h19

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) aprovou nesta terça-feira, 15, uma mobilização nacional de 48 horas, a partir de quinta-feira, por maior participação nos lucros da Petrobras e em repúdio à reação da estatal à greve realizada na Bacia de Campos.  Veja também:Petrobras se reúne com sindicato de petroleiros nesta quarta De acordo com o diretor da FUP, José Genivaldo da Silva, a greve não terá o objetivo de parar a produção na empresa, mas na próxima semana a categoria se reúne para decidir se fará uma paralisação mais longa.  Ele explicou que, como as plataformas de Campos já estão tomadas pelo plano de contingência da Petrobras e não é possível paralisar a produção, a estratégia será evitar que os trabalhadores ingressem nas refinarias da companhia.  "Com certeza, ela (Petrobras) vai montar uma equipe de contingência também para as refinarias, mas nossa intenção não é parar a produção, é fazer um alerta", afirmou.

Mais conteúdo sobre:
PetrobrasGreve

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.