Petroleiros podem entrar em greve no dia 19

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) rejeitou a proposta apresentada pela Petrobras em reunião esta tarde e vai propor à categoria a realização de uma greve de cinco dias com parada na produção de petróleo e combustíveis. A realização da greve agora será decidida em assembléias promovidas por sindicatos regionais a partir de amanhã.Segundo o presidente da FUP, Antônio Carrara, os funcionários da Petrobras vão controlar as atividades de plataformas e refinarias durante a greve, marcada para ocorrer da primeira hora do dia 19 à meia noite do dia 23, mantendo apenas a produção essencial, como gás natural para geradores de energia e produtos para hospitais e transporte público e de cargas. "Se pararmos 50% da Bacia de Campos, com petróleo a US$ 53, o prejuízo da empresa será grande", alertou o sindicalista.A Petrobras aumentou sua proposta, mas manteve de fora os aposentados e melhorias nas relações trabalhistas pedidas pelos empregados. A nova proposta da estatal prevê reajuste de 7,81% mais subida de um nível no plano de cargos e salários para os funcionários da ativa, o que representa, no total, um aumento de 12,12%. "Mas temos 60 mil aposentados que não se beneficiarão da subida de nível", disse Carrara.A mobilização vai interromper também o bombeio de combustíveis para as distribuidoras. O presidente da FUP não acredita, porém, que haverá falta de combustíveis, já que distribuidoras e postos têm estoques para abastecer o País nos dias de greve.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.