Joedson Alves/Reuters
Joedson Alves/Reuters

Petróleo a US$ 60 pode trazer beneficios de até US$ 10 bi ao Brasil, diz Tombini

Queda do preço do barril pode ser benéfica para o País e para os EUA, de acordo com o presidente do Banco Central

Victor Martins, Célia Froufe, Victor Martins e Célia Froufe

17 Dezembro 2014 | 16h15

O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, afirmou nesta quarta-feira, 17, durante café da manhã com jornalistas, que a queda do preço do petróleo pode ser positiva para o Brasil e para os Estados Unidos no curto prazo. Nos cálculos de Tombini, mantido o valor atual do barril de petróleo, entre US$ 55 e US$ 60, a balança comercial brasileira pode economizar entre US$ 5 bilhões e US$ 10 bilhões em 2015. 

A questão do petróleo tomou grande parte do discurso do presidente, que admitiu que planos de negócios das empresas do setor, não apenas no Brasil, devem ser revisados nos próximos meses e anos. Uma redução gradual da oferta corrigiria os preços.

Tombini, a despeito dos problemas gerados pela queda no preço do petróleo, disse que há um lado positivo. Como o Brasil é importador líquido, o preço atual do barril irá beneficiar a balança comercial brasileira no próximo ano, uma economia que pode chegar a US$ 10 bilhões nos cálculos dele. "Difícil dizer se era sustentável. Com a revisão dos investimentos nos próximos anos é natural que a oferta seja afetada", disse.

Mais conteúdo sobre:
tombinipetroleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.