Petróleo acentua alta após queda em estoques nos EUA

Estoques de petróleo caíram 3,689 milhões de barris na semana passada, mais do que o dobro projetado

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

16 de dezembro de 2009 | 14h23

Os preços dos contratos futuros do petróleo operam em alta, acentuando o avanço observado mais cedo, após dados do Departamento de Energia dos EUA (DOE) indicarem que, na semana passada, houve um declínio maior que o previsto nos estoques norte-americanos da matéria-prima (commodity) e nos estoques de destilados, e que os estoques de gasolina do país cresceram menos que o previsto.

 

Às 13h47 (de Brasília), o contrato do petróleo para janeiro negociado na New York Mercantile Exchange (Nymex) subia US$ 2,05, ou 2,90%, para US$ 72,74 por barril. Pouco antes da divulgação dos dados de estoques, o contrato operava a US$ 71,71 por barril.

 

Na plataforma ICE, o contrato do petróleo tipo Brent para janeiro - que expira hoje - avançava US$ 1,48, ou 2,05%, para US$ 73,53 por barril. O contrato do petróleo tipo Brent para fevereiro ganhava US$ 1,66, ou 2,25%, para US$ 75,39 por barril.

 

Estoques

 

Segundo os dados do DOE, os estoques de petróleo nos EUA caíram 3,689 milhões de barris na semana encerrada em 11 de dezembro, pouco mais que o dobro do declínio projetado por analistas, que era de 1,7 milhão de barris.

 

Apesar disso, os estoques de petróleo na cidade de Cushing - ponto de entrega física dos barris negociados na Nymex - cresceram 700 mil barris durante o período, para 34,1 milhões de barris, aproximando-se do recorde de 34,916 milhões de barris registrado no início do ano.

 

Os estoques de gasolina cresceram 879 mil barris, contra projeção de alta de 1,4 milhão de barris, enquanto os estoques de destilados - categoria que inclui o diesel e o óleo para calefação - recuaram 2,954 milhões de barris, ante previsão de queda de 600 mil barris.

 

A taxa de utilização da capacidade das refinarias caiu para 79,95%, de 81,05% na semana anterior. A estimativa era de avanço para 81,4%.

 

O DOE informou também que a demanda por gasolina caiu 49 mil barris por dia na semana passada, ou 0,54%, para 8,963 milhões de barris por dia, enquanto a demanda por destilados cresceu 14,21%, ou 472 mil barris por dia, para 3,792 milhões de barris por dia. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.