Petróleo acima de US$85 o barril pode prejudicar economia--Opep

Uma alta dos preços do petróleo para acima de 85 dólares o barril pode ser prejudicial para a recuperação econômica global, disse um delegado da Opep do Oriente Médio na terça-feira.

REUTERS

30 de março de 2010 | 16h13

"Preços acima de 85 dólares por um período de tempo pode muito bem ser prejudicial. Temos que estar atentos ao fato de que a recuperação econômica ainda é frágil", disse o delegado à Reuters no intervalo do Fórum Internacional de Energia.

"Mas ainda existe muito petróleo em estoque, então não está claro que a demanda não está sendo atendida pela oferta", completou.

O petróleo nos EUA fechou a 82,37 dólares o barril nesta terça-feira, tendo permanecido entre 70 e 80 dólares por grande parte deste ano. Os membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo dizem que um preço do petróleo entre 70 e 80 dólares o barril é bom tanto para produtores quanto para consumidores.

Os mercados aguardam um sinal de que a Opep pode elevar a produção, mas o grupo neste mês deixou as cotas de produção inalteradas em uma reunião em Viena.

Separadamente, outro delegado disse que a Opep vai elevar a produção de petróleo se os preços permanecerem "altos demais" por um longo tempo.

Questionado se a Opep tem um valor específico a partir do qual elevaria a produção, o delegado disse: "Se o mercado precisar de mais petróleo, a Opep vai fornecer. A Opep não quer que os preços subam demais, quer estabilidade. Se os preços permanecerem altos por muito tempo levaria a uma instabilidade, então a Opep terá que adicionar mais petróleo".

Ele não informou a partir de qual preço de petróleo a Opep teria que agir.

Os ministros da Opep, assim como autoridades dos países consumidores e empresas energéticas, estão reunidos em Cancun nesta semana para a 12a reunião bianual.

Mais tarde, o vice-secretário de Energia dos Estados Unidos, Daniel Poneman, afirmou que os preços do petróleo deveriam ser determinados a partir da oferta e demanda, e não com base em uma meta específica.

(Por Robert Campbell)

Tudo o que sabemos sobre:
PETROLEOOPEPPRECO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.