Petróleo atinge maior cotação desde a 1ª Guerra do Golfo

Os contratos futuros de petróleo subiram 1,87% em Nova York (New York Mercantile Exchange-Nymex) e fecharam acima de US$ 38,00 o barril pela primeira vez desde o período imediatamente anterior a primeira Guerra do Golfo, setembro de 1990, de acordo com estatística do Departamento de Energia dos EUA (DOE). Em Londres (International Petroleum Exchange-IPE), os futuros de petróleo Brent também registraram uma forte alta, de 2,60%. Também os futuros de gasolina registraram uma forte valorização em Nova York, com os contratos para abril fechando em alta de 313 pontos, para US$ 1 1577, nível de fechamento mais elevado desde 23 de maio de 2001 - quando registraram US$ 1,1589 o galão, nível mais elevado desde o início da estatística. Traders e analistas atribuíram os ganhos à interpretação de alta dos relatórios sobre os estoques comerciais norte-americanos, divulgados logo depois da abertura da sessão viva-voz. O relatório do DOE apontou a sétima semana de declínio em oito semanas, dos estoques de gasolina, que escorregaram para abaixo de 200 milhões de barris pela primeira vez desde novembro. O déficit em comparação com a média em cinco anos agora está em 98 milhões de barris, ou quase 5%. Enquanto isso, a demanda por gasolina permanece forte para o período do ano, na semana passada houve um crescimento de 76.000 barris/dia, para 9 044 milhões de barris/dia. Outro fator sugerido para explicar a alta dos preços foi o vencimento dos contratos de opções.

Agencia Estado,

17 Março 2004 | 22h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.