Petróleo atinge mínima em dois meses com valorização do dólar

Moeda ficou mais cara após aumento acima do previsto nas vendas do varejo americano

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

11 de dezembro de 2009 | 13h34

O preço dos contratos futuros do petróleo operam em baixa, após atingirem o menor nível desde outubro, pressionados pela valorização do dólar diante da divulgação de indicadores econômicos positivos nos EUA.

 

Às 13h53 (de Brasília), o contrato do petróleo para janeiro negociado na New York Mercantile Exchange (Nymex) caía US$ 0,56, ou 0,79%, para US$ 69,98 por barril, mas chegou a tocar US$ 69,58 por barril - menor nível desde 7 de outubro, quando o barril fechou a US$ 69,57. Na plataforma ICE, o contrato do petróleo tipo Brent recuava US$ 0,27, ou 0,38%, para US$ 71,59 por barril.

 

No mesmo horário, o euro caía para US$ 1,4604, de US$ 1,4729 na quinta-feira, enquanto o dólar subia para 89,75 ienes, de 88,21 ienes ontem.

 

O Departamento de Comércio dos EUA divulgou mais cedo que as vendas no varejo dos EUA aumentaram 1,3% em novembro, superando as previsões de analistas, que esperavam alta de 0,7%. O dado indica que o consumo - principal força da economia norte-americana - está crescendo, uma semana depois de outros indicadores apontarem para uma recuperação no mercado de trabalho do país.

 

Em termos de fundamentos, o horizonte econômico promissor dá suporte aos preços do petróleo, porém a perspectiva de que a melhora na economia aumenta o risco inflacionário e, com isso, as chances de o Federal Reserve elevar a taxa básica de juro, impulsiona o dólar.

 

A apreciação do dólar tem um efeito negativo sobre os preços do petróleo, pois torna a commodity - denominada na divisa norte-americana - mais cara para os detentores de outras moedas.

 

Às 12h51 (de Brasília), o euro caía para US$ 1,4645, de US$ 1,4729 na quinta-feira, enquanto o dólar subia para 89,47 ienes, de 88,21 ienes ontem.

Mais cedo, a Agência Internacional de Energia (AIE) afirmou em um relatório mensal que a demanda mundial por petróleo em 2010 será de 86,3 milhões de barris por dia. A estimativa é 130 mil barris por dia superior à previsão do relatório de novembro e pela primeira vez supera o declínio projetado para a demanda pela commodity neste ano.

 

Segundo a agência, a demanda por petróleo em 2009 encolherá 1,4 milhão de barris por dia em relação a 2008. Em 2010, deve haver um crescimento de 1,5 milhão de barris por dia em relação a este ano.

 

"Eles estão projetando uma recuperação na demanda com base no aumento da atividade econômica. O ritmo em que essa recuperação ocorrerá é o que vai determinar se poderemos retomar o rali nos preços", disse Gene McGillian, analista da Tradition Energy. As informações são da Dow Jones.

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
petróleoNova Yorkdólar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.