coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Petróleo avança com otimismo sobre pacote nos EUA

Participantes também aguardam o anúncio sobre o plano do governo Obama para auxiliar os bancos

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado

10 de fevereiro de 2009 | 12h00

Os contratos futuros do petróleo operam em forte alta, com suporte da expectativa de que o pacote de estímulo à economia  do Senado dos EUA ajudará a impulsionar os preços da commodity. Os participantes também aguardam o anúncio do secretário do Tesouro norte-americano, Timothy Geithner, sobre o plano do governo Obama para auxiliar os bancos.  Veja Também:De olho nos sintomas da crise econômica Dicionário da crise Lições de 29Como o mundo reage à crise Às 11h52 (de Brasília), os contratos do petróleo para março negociados na Nymex subiam US$ 1,33, ou 3,36%, para US$ 40,89 o barril. Em Londres, os contratos do petróleo tipo Brent para março avançavam US$ 1,53, ou 3,32%, para US$ 47,55 o barril. "O otimismo com o pacote é um dos motivos pelos quais os preços do petróleo estão operando em torno de US$ 40 o barril", disse Nimit Khamar, analista da Sucden Research em Londres. "Os participantes do mercado vão aguardar ansiosamente a aprovação e os detalhes do pacote de estímulo (do Senado), além das informações sobre o plano de resgate dos bancos, e isso deve ditar o movimento dos mercados nesta semana."  Os investidores também esperam relatórios mais específicos sobre o mercado de petróleo. O American Petroleum Institute (API) deve divulgar hoje às 19h30 (de Brasília) dados sobre os estoques norte-americanos da commodity. Além disso, na quarta-feira, a Agência Internacional de Energia publicará um relatório mensal sobre o mercado de petróleo.  "Na semana passada, o relatório do API foi um bom barômetro para os dados divulgados posteriormente pelo Departamento de Energia dos EUA (DOE) sobre os estoques e precisará ser monitorado de perto", disse Olivier Jakob, diretor da consultoria Petromatrix na Suíça.  Ele notou que o grau de impacto dos dados semanais sobre os estoques norte-americanos da commodity está diminuindo, apesar das leituras mostrarem aumentos substanciais nas reservas. "Nas últimas quatro semanas, os dados divulgados pelo DOE corresponderam a uma variação diária de, no máximo, US$ 0,50 (o barril), mesmo com o aumento de 20 milhões de barris durante o período", disse Jakob. Os dados do DOE sobre os estoques de petróleo dos EUA serão divulgados amanhã. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.