Petróleo avança em Nova York e recua na Europa

NOVA YORK

, O Estado de S.Paulo

21 de junho de 2011 | 00h00

Os preços dos contratos futuros do petróleo fecharam em direções divergentes, avançando levemente na New York Mercantile Exchange (Nymex), mas caindo na plataforma ICE, em Londres, em meio a receios com a situação financeira da Grécia.

O contrato do petróleo para julho na Nymex - que vence amanhã - subiu US$ 0,25, ou 0,27%, para US$ 93,26 o barril, com mínima intraday de US$ 91,14 o barril. Na plataforma ICE, o contrato do petróleo tipo Brent para agosto caiu US$ 1,52, ou 1,34%, para US$ 111,69 o barril.

O mercado de petróleo, assim como o de ações e de outras commodities, está concentrado na crise grega e nos efeitos que um calote do país teria sobre os grandes bancos europeus e sobre a recuperação da economia.

No fim de semana, autoridades financeiras europeias discutiram a situação das contas públicas gregas e hoje anunciaram que a Grécia só receberá a próxima parte do pacote de resgate se os parlamentares de Atenas aprovarem as novas medidas de austeridade fiscal.

O projeto com as novas medidas já foi apresentado ao parlamento do país pelo primeiro-ministro grego, George Papandreou, mas será colocado em discussão apenas depois de o governo ser submetido amanhã a um voto de confiança.

Diante das incertezas em relação ao desfecho desse episódio, os operadores passaram a vender ativos considerados arriscados, como o petróleo, já que a rejeição do governo de Papandreou pelos parlamentares pode agravar o quadro político e financeiro da Grécia.

Na Nymex, o preço do petróleo conseguiu fechar em leve alta porque havia fatores técnicos dando suporte aos preços. Na semana passada, o contrato da commodity para julho teve o menor preço em quatro meses e hoje aparentemente se estabilizou perto da média de negociação dos últimos 200 dias.

"Talvez tenhamos suporte na região dos US$ 90", disse Tom Bentz, diretor do BNP Paribas Commodity Futures. "Estamos esperando por mais notícias antes de seguir em qualquer direção." /DOW JONES NEWSWIRES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.